Casa Branca nega ter dado 'sacos de dinheiro' ao governo afegão

Governo dos EUA nega declarações de Hamid Karzai de que 'países amigos' agiram dessa forma

estadão.com.br,

26 de outubro de 2010 | 19h24

WASHINGTON- O governo dos Estados Unidos negou nesta terça-feira, 26, ter dado "sacos de dinheiro" ao governo afegão, após o presidente Hamid Karzai afirmar ontem que vários "governos amigos", entre eles o Irã, agiram dessa forma. As informações são da agência de notícias AFP.

 

"Demos ajuda ao governo afegão por meio de um programa bastante bem-sucedido", disse o porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs, ao ser questionado sobre as afirmações de Karzai em uma coletiva de imprensa. "Não demos bolsas de dinheiro", acrescentou.

 

Hoje, o porta-voz do Ministério de Assuntos Exteriores do Irã, Ramin Mehmanparast, admitiu que seu país forneceu dinheiro ao governo afegão.

 

As palavras de Mehmanparast confirmam em parte a informação divulgada no sábado pelo jornal americano The New York Times, na qual denunciava que funcionários iranianos entregaram sacos de euros em dinheiro a Omar Daudzai, ex-embaixador afegão em Teerã e atual chefe do gabinete de Karzai.

 

O próprio presidente afegão admitiu o recebimento do dinheiro, mas diminuiu a importância ao assunto ao afirmar que é dinheiro "transparente" utilizado para pagar salários e despesas da presidência e que os EUA estão cientes das transações.

 

"O governo do Irã dá assistência ao meu governo com cerca de 500 mil a 700 mil duas vezes por ano em uma ajuda oficial. Isso é transparente e algo que discuti até mesmo com o ex-presidente George W. Bush. Não há nada a esconder. Os EUA fazem a mesma coisa. Eles dão malas de dinheiro. É a mesma coisa", disse Karzai.

 

A embaixada iraniana em Cabul negou, no entanto, que tenha dado sacos de dinheiro a Daudzai e classificou a informação do jornal americano de "grotesca e insultante".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.