Casa Branca se diz preocupada com envio de mísseis da Síria ao Hezbollah

Reportagem do 'Wall Street Journal' indica que armamento foi contrabandeado ao grupo islâmico

14 de abril de 2010 | 22h03

Reuters

 

WASHINGTON- A Casa Branca expressou nesta quarta-feira, 14, sua preocupação sobre reportagens que indicam que a Síria transferiu mísseis Scuds de longo alcance ao grupo libanês Hezbollah, e afirmou que tinha elevado o tema ao máximo nível.

 

Um dia depois de o presidente de Israel, Shimon Peres, ter acusado a Síria de entregar "sofisticados mísseis que ameaçam Israel ao Hezbollah", a Casa Branca disse que havia advertido Damasco sobre um possível "efeito desestabilizador" para a região.

 

"Obviamente estamos cada vez mais preocupados sobre o armamento sofisticado que (...) supostamente está sendo transferido", disse o porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs, a jornalistas. "Temos expressado nossas preocupações a esses governos", completou.

 

Gibbs fez estas declarações em resposta a uma pergunta sobre uma matéria do Wall Street Journal, que citava funcionários israelenses e americanos e indicava que a Síria havia transferido mísseis ao Hezbollah, uma ação que ameaça alterar o quadro militar do Oriente Médio.

 

A transferência poderia ameaçar as relações entre os Estados Unidos e Síria, e criar novos obstáculos na confirmação de um novo embaixador de Washington em Damasco após uma ausência de cinco anos.

 

Um funcionário israelense que falou sob anonimato afirmou que os mísseis Scud foram contrabandeados para o Hezbollah, um grupo islâmico apoiado pelo Irã e pela Síria, nos últimos dois meses.

Tudo o que sabemos sobre:
Casa BrancamísseisSíriaHezbollah

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.