Casal é agredido por judeus ultra-ortodoxos em ônibus

Homem e mulher, sentados juntos, se negaram a se separar e foram agredidos por cinco homens

Efe,

21 de outubro de 2007 | 18h55

Cinco judeus ultra-ortodoxos atacaram neste domingo, 21, uma mulher de sua comunidade religiosa e um soldado por se negarem a se sentar em assentos separados em um ônibus que seguia para os arredores de Jerusalém. De acordo com a Polícia israelense, o incidente ocorreu quando o grupo exigiu que a mulher mudasse de lugar no veículo. Após a negativa, os rapazes empurraram e insultaram a vítima. O mesmo fizeram com o soldado. Nenhum dos dois precisou ser hospitalizado. Quando o ônibus chegou a seu destino, a localidade de Beit Shemesh, a oeste de Jerusalém, outro ataque de fúria. Entre 40 e 50 judeus ultra-ortodoxos repreenderam os policiais que foram enviados ao local e destruíram os pneus de alguns carros da Polícia. Esse não foi o primeiro caso de violência em Beit Shemesh. Embora não seja uma cidade de maioria ultra-ortodoxa judaica, os membros desta comunidade já protagonizaram diversos incidentes para pedir à companhia de ônibus que abra linhas nas quais as mulheres e os homens possam se sentar separadamente, informou o jornal israelense Ha'aretz.

Tudo o que sabemos sobre:
ReligiãoIsrael

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.