Casas de Gaddafi são saqueadas em meio ao caos em Trípoli

Um conjunto de casas de luxo no centro de Trípoli cujo chão estava repleto de objetos revistados e fotos privadas de Muammar Gaddafi é o mais recente vestígio de seu governo a ser saqueado por multidões enfurecidas.

MARIA GOLOVNINA, REUTERS

27 de agosto de 2011 | 15h51

O complexo na luxuosa área de Gargur foi bombardeado pela Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), o que aliados de Gaddafi afirmaram ser uma tentativa de matar seu líder.

Agora os portões de ferro do local estão quebrados e abertos. A casa, que já teve o nível máximo de proteção, fora abandonada e saqueada quando a Reuters a visitou neste sábado.

Retratos emoldurados de Gaddafi, quebrados e manchados, se espalhavam pelo gramado em frente ao prédio principal.

Um veículo blindado cravejado de buracos de balas estava estacionado no portão. No interior, móveis quebrados enchiam quartos luxuosos e corredores com o teto em forma de arco. Cadeiras e roupas masculinas flutuavam em uma enorme piscina no interior da casa.

Moradores locais disseram que multidões invadiram o complexo após Trípoli cair nas mãos dos rebeldes nesta semana.

"Algumas pessoas vieram aqui e fizeram isso", disse o morador de Gargur Moussa Zintani, de 37 anos, que trabalha no mercado imobiliário. "Foi uma explosão enorme. Estilhaços voaram por toda parte", disse a respeito do ataque da Otan.

Havia outro prédio próximo em ruínas após o ataque que consistia em uma mistura de concreto e fios.

O governo levou jornalistas ao local no fim de abril, afirmando que Gaddafi estava dentro da casa no momento, mas sobreviveu. Seu filho mais novo e três netos foram mortos, disseram autoridades.

Tudo o que sabemos sobre:
LIBIAGADDAFICASAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.