Chanceler alemã pede libertação de jornalistas detidos no Irã

Autoridades iranianas acusam alemães de manterem contatos com inimigos, entre eles o filho de Sakineh Mohammadi Ashtiani, condenada à morte por apedrejamento

Efe,

12 de outubro de 2010 | 09h31

BUCARESTE, Romênia - A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, afirmou nesta terça-feira, 12, em Bucareste que seu governo tem "grande interesse" em uma rápida libertação dos dois jornalistas alemães detidos nesta semana no Irã. "Estamos fazendo tudo o que podemos, mas não temos novas informações", disse Merkel, durante visita oficial à Romênia.

 

As autoridades iranianas anunciaram ontem que prenderam dois estrangeiros, que teriam entrado como turistas ao país para entrevistar o filho de Sakineh Mohammadi Ashtiani, mulher acusada de adultério e condenada à morte por apedrejamento.

 

O Irã acusa os detidos de manterem contatos com grupos inimigos do regime iraniano no exterior.

Tudo o que sabemos sobre:
IrãjornalistasSakinehAlemanha

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.