Chanceler saudita participará de conferência em Annapolis

Confirmação dá maior legitimidade à cúpula de paz entre palestinos e israelenses; presença síria ainda é incerta

Efe,

23 de novembro de 2007 | 14h31

O ministro das Relações Exteriores saudita, Saud al-Faisal, anunciou nesta sexta-feira, 23, que representará seu país na conferência sobre o Oriente Médio que será realizada na próxima terça-feira na cidade americana de Annapolis.  A boa notícia para os que vêem no encontro uma possibilidade para a estabelecimento da paz entre israelenses e palestinos só não é garantia total de sucesso devido a relutância da Síria em confirmar sua participação. Arábia Saudita e Síria não possuem relações diplomáticas com Israel, e uma eventual participação dos dois países no encontro daria maior legitimidade à conferência entre os Estados árabes.  Faisal fez o anúncio em entrevista coletiva na sede da Liga Árabe, no Cairo, respondendo a uma das incertezas que cercavam esta cúpula. A Arábia Saudita é um dos principais aliados dos EUA na região. Faisal não quis responder diretamente às perguntas sobre a presença da Síria. Também na entrevista, o secretário-geral da Liga Árabe, Amr Moussa, limitou-se a dizer que "participarão todos os países que fazem parte do comitê da Liga Árabe encarregado de promover a iniciativa árabe de paz (entre eles, a Síria)". No entanto, o ministro de Exteriores sírio, Walid al-Mouallem, disse nos corredores que "ainda não está decidida" a presença de seu país, e insistiu em que as Colinas do Golã sírias ocupados por Israel devem fazer parte da agenda da conferência. Sobre este assunto, os países da Liga Árabe participantes da reunião desta sexta-feira deram seu apoio implícito à Síria, ao expressar sua esperança de que, em Annapolis, as negociações "sejam globais, ou seja, entre Israel e os palestinos, entre Israel e Síria, e entre Israel e Líbano". O ministro saudita anunciou também uma reunião prévia entre os países árabes presentes à cúpula, que será realizada na segunda-feira, em Washington.

Tudo o que sabemos sobre:
conferência de pazAnnapolis

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.