Chefe da polícia de Cabul se demite depois de ataque a estrangeiros

O chefe de polícia de Cabul se demitiu neste domingo depois de três ataques do Taliban em dez dias contra hospedarias para estrangeiros na capital, enquanto autoridades disseram que as forças afegãs expulsaram insurgentes que tentavam tomar um antigo campo militar britânico e norte-americano no sul.

JESSICA DONATI E KAY JOHNSON, REUTERS

30 de novembro de 2014 | 14h07

Os combatentes do Taliban invadiram a área do Campo Bastion na província de Helmand há três dias, apenas um mês depois da base ter sido passada ao Exército afegão.

Os últimos ataques reacenderam o medo de que os militares e policiais afegãos não sejam capazes de garantir a segurança no país.

A organização de caridade norte-americana cujo alojamento sofreu um ataque no sábado disse que três pessoas foram mortas pelos insurgentes.

Elas foram identificados como membros de uma mesma família sul-africana, um pai e duas filhas adolescentes.

O porta-voz da polícia de Cabul não quis comentar a razão da demissão do comandante policial.

A violência no país se intensificou neste ano, depois que o Taliban reforçou as suas atividades às vésperas da retirada da maior parte das tropas internacionais, marcada para o fim do mês que vem.

Nos últimos dez dias, três instalações de organizações estrangeiras foram atacadas. Em Cabul, em ações separadas, dois soldados norte-americanos, dois funcionários da embaixada britânica e dezenas de civis afegãos foram mortos.

Mais conteúdo sobre:
AFEGANISTAOCHEFEPOLICIADEMITE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.