Chefe dos monitores da Liga Árabe diz que Síria está cooperando

O chefe da missão de monitoramento da Liga Árabe que tenta pôr fim à repressão violenta na Síria disse nesta segunda-feira que se encontrou com diversas autoridades do governo. "Por enquanto, o acesso está sendo bom e as autoridades vêm cooperando", disse ele.

MARIAM KAROUNY, REUTERS

26 de dezembro de 2011 | 14h45

O general sudanês Mustafa Dabi, que chegou a Damasco no sábado, lidera uma equipe de observadores que verificará se a Síria está implementando parte de um plano de paz árabe que exige que os militares se retirem das áreas civis e encerrem o derramamento de sangue.

O movimento de protesto contra o governo do presidente Bashar al-Assad já dura nove meses e o país mergulha cada vez mais na violência, à medida que as forças de segurança reprimem a revolta e a insurgência armada reage.

"Estamos em Damasco agora, começamos nossa missão e iremos a outras cidades mais rápido do que você pensa", disse Dabi à Reuters por telefone. "Nossos irmãos sírios têm cooperado muito bem e, até agora, sem nenhuma restrição."

Cinquenta monitores chegarão nesta segunda-feira e serão divididos em grupos de dez para missões de observação. Alguns membros da delegação afirmaram que planejam visitar a cidade de Homs na terça-feira. Moradores e ativistas afirmam que Homs está sob fogo de morteiro e metralhadora há dias e que dezenas morreram.

Tudo o que sabemos sobre:
SIRIAMONITORES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.