Chefe militar confirma retirada australiana do Iraque

Retorno dos soldados deve acontecer até o meio do ano; missão diplomática vai continuar

Efe,

20 de fevereiro de 2008 | 02h45

As tropas australianas no Iraque concluíram sua missão e retornarão a seu país em meados deste ano, segundo anunciou nesta quarta-feira, 20, o chefe da Força Aérea da Austrália, general Angus Houston. A retirada do contingente formado por 1.500 soldados foi uma promessa feita pelo líder trabalhista Kevin Rudd antes de vencer as eleições legislativas realizadas em dezembro, colocando fim a 11 anos de governo conservador no país. Houston assinalou, em um comparecimento no Senado, que o contingente integrado por 550 soldados de unidades de combate transferiu suas responsabilidades em matéria de segurança às forças iraquianas há uns dois anos, e que desde então seu apoio não foi requerido. "Atingimos nossas metas no sul do Iraque", disse o general Houston. "As tropas iraquianas tiveram que enfrentar vários desafios de segurança ao longo de vários meses, e conseguiram controlar as situações sem requerer nosso apoio", explicou. A Austrália manterá no Iraque, segundo o plano anunciado por Rudd, uma embarcação de guerra, dois aviões de vigilância do modelo AP-3C Orion, e uma reserva composta por 100 militares do destacamento de segurança em Bagdá, para proteger a missão diplomática.

Mais conteúdo sobre:
IraqueAustrália

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.