Cheney acusa opositores da guerra de ignorar caos no Iraque

O vice-presidentedos Estados Unidos, Dick Cheney, acusou na sexta-feira aquelesque criticam a estratégia do governo para a guerra de não ligarpara o banho de sangue e o caos que dominariam o Iraque sehouvesse uma retirada prematura das tropas norte-americanas. Cheney deu as declarações depois de o presidente George W.Bush ter anunciado a retirada de cerca de 20 mil soldados doIraque até julho de 2008. O vice reforçou o argumento de que osEUA têm de ficar no Iraque a longo prazo para combater oterrorismo. "Em todos os apelos que ouvi pela retirada americana doIraque, essas consequências negativas não chegaram a sernegadas, elas simplesmente foram ignoradas", observou. Democratas e até alguns republicanos vêm pressionando porum cronograma para a retirada, mas Bush resiste. Com o planorecém-anunciado, mais de 130 mil soldados norte-americanospermaneceriam no Iraque, mais ou menos o mesmo número de antesdo reforço de 30 mil homens enviado este ano para a operação desegurança em Bagdá e na Província de Anbar. O pronunciamento de Bush, na noite de quinta-feira, nãoacalmou os democratas, que o acusaram de estar apenas mudando acara de uma estratégia fracassada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.