Cheney duvida de reconciliação entre Hamas e Fatah

O vice-presidente dos EUA, DickCheney, disse na segunda-feira não acreditar que o presidentepalestino, Mahmoud Abbas, queira a conciliação com o Hamas se ogrupo islâmico não aceitar entregar a Faixa de Gaza. Ele falou a jornalistas em Jerusalém um dia depois derepresentantes das facções Fatah, de Abbas, e Hamas divulgaremuma declaração em Sanaa (Iêmen) na qual concordavam emparticipar de uma iniciativa iemenita para promover o diálogo. "Minha conclusão ao conversar com a liderança palestina éque eles estabeleceram pré-condições que seriam cumpridas antesde concordarem com uma reconciliação, o que inclui a completareversão da tomada de Gaza pelo Hamas", disse Cheney. O vice-presidente faz uma visita de três dias a Israel eaos territórios palestinos para promover o processo de pazmediado pelos EUA. Ele foi recebido na segunda-feira por Abbasna Cisjordânia. A iniciativa iemenita propõe o retorno da "situaçãopalestina" ao status anterior a junho de 2007, quando o Hamasexpulsou as forças da Fatah da Faixa de Gaza. A Fatah, que governa apenas a Cisjordânia, deixou clarodepois da divulgação da declaração de Sanaa que continuaexigindo a entrega da Faixa de Gaza. O Hamas rejeitou essa posição, dizendo que ainda cabemnegociações sobre os artigos do plano iemenita. O grupo islâmico é contra o processo de paz do qualparticipam Abbas e Israel. Referindo-se à Faixa de Gaza, Cheney disse que "é umasituação claramente difícil, em parte porque acho que é verdadeque há provas e que o Hamas é apoiado por Irã e Síria, e estãofazendo de tudo para torpedear o processo de paz." Após receber Cheney, Abbas disse que a ampliação dosassentamentos de Israel, os bloqueios rodoviários naCisjordânia e as ações contra militantes estão emperrando oprogresso das negociações relançadas em novembro numaconferência nos EUA.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.