Cheney pede 'concessões dolorosas' pela paz no Oriente Médio

O vice-presidente dosEUA, Dick Cheney, disse no domingo que a paz no Oriente Médiorequer concessões dolorosas tanto por parte de Israel como dospalestinos. O presidente Mahmoud Abbas, que encontrou-se com Cheney noquartel-general da Autoridade Palestina, disse que a expansãode assentamentos judeus, pontos de controle e incursões doexército de Israel estavam retardando o progresso em direção àpaz. Ambos reuniram-se pouco depois de a facção do líderpalestino, Fatah, e a rival Hamas assinarem um acordo dereconciliação patrocinado pelo Iêmen, que prometeu abrigarconversas diretas. Nem Cheney nem Abbas comentaram publicamente o acordo. O Hamas, que se opõe aos esforços de paz de Abbas, tomou aFaixa de Gaza do Fatah em conflitos no último mês de junho. Asdesavenças sobre o futuro do território onde vivem 1,5 milhãode palestinos permanecem, apesar das tentativas de ambas asfacções de aparar as arestas. Falando a jornalistas, Cheney disse que, para atingir oEstado Palestino vislumbrado pelo presidente George W. Bush eque conviva em paz com Israel, serão necessários "enormesesforços na mesa de negociação e dolorosas concessões de ambosos lados." "Isso também irá requerer uma determinação para derrotaraqueles que estão comprometidos com a violência e que serecusam a aceitar o direito básico de o outro lado existir',disse Cheney, em sua primeira visita como vice-presidente aosterritórios palestinos. Os Estados Unidos e outros países do Ocidente disseram quenão fariam contato com o Hamas até que ele reconheça o Estadode Israel, renuncie à violência e aceite acordos de paz. "Nós também repetimos nossa rejeição e condenação aolançamento de foguetes contra Israel a partir da Faixa deGaza', disse Abbas. "Nós acreditamos que uma paz real possacolocar fim a esse conflito." Cheney disse que o "terror" e os ataques com foguetesatravés da fronteira, que os militantes classificam como umaresposta a ações de Israel, "não somente matam civis inocentes,mas também matam as legítimas esperanças e aspirações do povopalestino." Mais cedo, após conversas com o presidente de Israel,Shimon Peres, em Jerusalém, Cheney disse que os Estados Unidosestavam fazendo o possível "para tentar levar adiante oprocesso de paz." Ele deu início a um dia de conversas com líderesisraelenses e palestinos ao comparecer a uma cerimônia depáscoa em uma pequena capela no consulados dos EUA emJerusalém.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.