Ian Langsdon/Efe
Ian Langsdon/Efe

China pode ser prejudicada se não apoiar sanções contra Irã

Segundo Hillary, país asiático pode ter abastecimento de petróleo e diplomacia prejudicadas; China resiste

Associated Press,

29 de janeiro de 2010 | 17h56

A secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, advertiu a China nesta sexta-feira, 29, de que o país asiático corre riscos de isolamento diplomático e possível interrupção no seu fornecimento de energia, a menos que a nação apoie as novas sanções da Onu contra o Irã.

 

Veja também:

linkSenado dos EUA aprova projeto de ampliação de sanções ao Irã

linkBlair chama Saddam de 'monstro' e sugere ação contra Irã

 

Hillary declarou em uma academia militar em Paris que entendeu a relutância da China em apoiar novas penalidades ao Irã devido ao programa nuclear de Teerã, mas a secretária afirmou que um Irã com armas nucleares iria desestabilizar o Golfo Pérsico e o abastecimento de petróleo que a China compra da região.

 

A China vem resistindo às sanções do Conselho de Segurança da Onu, por considerá-las contraprodutivas. Mas há uma nova pressão por sanções contra o Irã porque o país continua com seu programa nuclear, alegando que o enriquecimento de urânio é pacífico.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.