Choque entre forças iraquianas e integrantes de culto mata 14

Soldados e policiais iraquianosestavam travando batalhas com integrantes de um culto xiita nosul do país na sexta-feira, e os confrontos já tinham deixado14 mortos e dezenas de feridos, afirmaram autoridades. Segundo a polícia, o chefe do culto "Soldados do Paraíso",de Basra, foi morto. O episódio faz lembrar os confrontos de umano atrás, perto de Najaf, que deixaram centenas de mortos, amaioria integrantes do obscuro culto. Os conflitos são os maiores no sul do Iraque desde que ossoldados britânicos transferiram a responsabilidade sobre aregião para os iraquianos, no mês passado.De acordo com o major-general Abdul Jalil Khalaf, da polícia deBasra, dezenas de pessoas tinham sido mortas ou detidas nacidade, a segunda maior do Iraque. O número oficial de mortosera quatro. Já em Nassiriya, pelo menos dez pessoas haviam morrido,entre eles um major-general da polícia e dois coronéis, segundofontes oficiais. Testemunhas disseram que integrantes do culto"Soldados do Paraíso" atacaram quatro delegacias na cidade. Os choques acontecem próximo ao ponto alto do festival daAshura, uma das datas mais importantes do calendário muçulmanoxiita, programado para sábado. Segundo autoridades, há 2,5milhões de pessoas reunidas em Kerbala para o evento. O toque de recolher foi imposto em Nassiriya. Policiaisdisseram que os integrantes defendem Ahmed Hassani al-Yemeni,que assumiu a liderança do grupo depois da morte do líderanterior, há um ano. Os integrantes acreditam numa figuramessiânica, o mahdi. Um homem que disse pertencer ao movimento contou à Reutersem Basra que os integrantes decidiram atacar as forças desegurança na sexta-feira em represália às perseguições que oculto vem sofrendo. (Reportagem adicional de Ahmed Rasheed em Bagdá, texto deDean Yates e Paul Tait)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.