CIA diz que Bin Laden está vivo, porém isolado da Al-Qaeda

Serviço de inteligência americano afirma que conseguiu desarticular atentado semelhante ao 11 de setembro

Associated Press e Efe,

14 de novembro de 2008 | 07h31

Osama bin Laden está isolado da Al-Qaeda e gasta muita energia para garantir sua sobrevivência e sua própria segurança, mas a organização terrorista está ampliando sua influencia na África e no Oriente Médio, segundo acredita o diretor da CIA, Michael Hayden. Segundo o funcionário do serviço de inteligência do governo Bush, o líder da Al-Qaeda segue vivo e "parece que se mantém a margem das operações da organização terrorista que dirige". Hayden, que falou na quinta-feira, 13, em Washington, sobre a Al-Qaeda, afirmou ainda que os serviços de informação americanos desarticularam uma conspiração de grupos terroristas para cometer um atentado similar ao de 11 de setembro de 2001, em que morreram cerca de 3 mil pessoas. Hayden não deu detalhes sobre a conspiração, mas fontes dos organismos de inteligência citadas pela rede de televisão ABC disseram que se referia a um ataque contra aviões de passageiros em Londres em 2006. Os atentados de 11/09 foram atribuídos a Osama bin Laden, líder da Al-Qaeda, que, segundo sugeriu Hayden, poderia estar escondido na fronteira entre o Afeganistão e o Paquistão. Ele afirmou ainda que a caça pelo terrorista ainda é a prioridade da agência. "Sua morte ou captura sem dúvida teria um importante impacto na confiança dos seguidores da Al-Qaeda e outros grupos terroristas em todo o mundo". Em seu discurso, sobre a luta travada pelos EUA contra a Al-Qaeda, o diretor da CIA afirmou que a organização "sofreu graves revezes, mas é um inimigo decidido e adaptável como nenhum outro que este país jamais enfrentou". No entanto, Bin Laden "parece estar cada vez mais isolado das operações da organização que lidera", acrescentou. Sobre a luta contra a Al-Qaeda no Iraque, Hayden disse que a organização "está à beira da derrota estratégica" nesse país e teve que tirar seus membros de território iraquiano. Como exemplo, o diretor da CIA afirmou que grupos filiados à Al-Qaeda nas Filipinas, na Indonésia e na Arábia Saudita foram desmantelados, mas as células da organização estão surgindo em outros lugares. Alguns elementos antigos da Al-Qaeda também "estiveram envolvidos no planejamento de ataques na Europa e nos Estados Unidos", disse.

Tudo o que sabemos sobre:
CIAAl-QaedaOsama bin Laden

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.