Cientista nuclear pede para retornar ao Irã, diz governo dos EUA

Desaparecido desde o ano passado, Amiri deu entrada na embaixada paquistanesa em Washington

Reuters e Associated Press

13 de julho de 2010 | 10h07

WASHINGTON - O cientista nuclear iraniano Shamram Amiri, que desapareceu durante uma peregrinação à Arábia Saudita e nesta terça reapareceu na embaixada do Paquistão nos EUA, decidiu retornar ao Irã "por vontade própria", informou um funcionário do governo americano.

 

Veja também:

linkCientista iraniano reaparece em embaixada nos EUA

 

"O senhor Amiri esteve nos EUA por livre e espontânea vontade e decidiu retornar ao Irã por vontade própria", disse o funcionário, que falou sob condição de anonimato.

 

A fonte disse que a situação de Amiri era diferente da de outros cidadãos americanos, incluindo os três viajantes que estão sob custódia no Irã. "Eles devem ser libertados imediatamente e ter permissão para voltar aos EUA", disse.

 

Amiri está apenas aguardando a validação de documentos de viagem de um terceiro país pelo qual deve passar na volta ao Irã, segundo o funcionário.

 

O chanceler iraniano, Manoucher Mottaki, confirmou que Amiri está na embaixada paquistanesa em Washington e solicitou o retorno imediato ao Irã. Mottaki ainda disse que sua volta ao país islâmico não deve ter nenhum obstáculo.

 

O cientista havia desaparecido no ano passado, durante uma peregrinação à Arábia Saudita. O Irã diz que ele foi sequestrado pela Agência Central de Inteligência (CIA, na sigla em inglês) dos EUA. Washington, porém, nega as acusações.

Tudo o que sabemos sobre:
Amiricientista, nuclearIrãEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.