Cinco soldados norte-americanos morrem em ataque no Iraque

Número de vítimas dos EUA é o maior em um só ataque em ao menos dois anos; tropas preparam saída

MUHANAD MOHAMMED, REUTERS

06 de junho de 2011 | 16h17

BAGDÁ - Cinco soldados norte-americanos foram mortos por um ataque no Iraque nesta segunda-feira, 6. É o maior número de mortes de militares dos Estados Unidos em um único ataque no país em ao menos dois anos, disseram autoridades de segurança dos EUA e do Iraque.

O ataque mostrou que a situação de segurança no Iraque ainda é precária, apesar da queda no índice de violência. Tropas norte-americanas estão se preparando para se retirar do país mais de oito anos após a invasão que derrubou o ex-ditador Saddam Hussein.

As forças norte-americanas no Iraque deram poucos detalhes, dizendo apenas que a base no leste de Bagdá foi alvo de "ataques indiretos". Uma alta autoridade de segurança do Iraque disse que os norte-americanos morreram quando militantes atiraram foguetes contra uma base conjunta no distrito de Baladiyat, no leste da capital iraquiana.

"Nesta manhã, a base norte-americana no acampamento Loyalty foi alvo de um ataque de foguetes. Havia muita fumaça do lado de dentro e os norte-americanos morreram no ataque na área de Baladiyat", disse à Reuters uma autoridade de segurança, que pediu para não ser identificada.

 

A base de operações Loyalty, localizada no ex-diretório de segurança interna de Saddam Hussein, fica próxima à cidade de Sadr, um baluarte do clérigo xiita Moqtada al-Sadr, opositor dos EUA.

Acidente

 

Dois supostos militantes envolvidos no ataque foram mortos quando um foguete explodiu antecipadamente sobre o caminhão que estava sendo usado como plataforma de lançamento, disse uma fonte do Ministério do Interior.

Embora o nível geral de violência no Iraque tenha caído desde o auge do conflito sectário entre 2006 e 2007, ataques com armas e bombas ainda ocorrem diariamente, tendo como alvo frequente as forças locais de segurança iraquiana.

Ao menos 13 pessoas, na maioria soldados iraquianos, morreram em outro incidente nesta segunda-feira, quando um suicida detonou um carro-bomba em um ataque contra forças de segurança na cidade de Tikrit, na região central do Iarque.

Tikrit é dominada por sunitas, minoria no Iraque que foi favorecida por Saddam Hussein. Ataques de supostos sunitas, incluindo a Al-Qaeda, são frequentes na cidade e na província de Salahuddin, e buscam desestabilizar o governo de Bagdá e fomentar a tensão sectária.

Tudo o que sabemos sobre:
IRAQUEFOGUETEMORTES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.