Civil afegão é morto por forças da Otan em província violenta

Homem estava em carro em alta velocidade com mais cinco pessoas; Otan e oficiais afegãos investigarão caso

Reuters,

17 de janeiro de 2010 | 10h50

Forças internacionais mataram um civil afegão neste domingo, 17, depois de abrir fogo contra um veículo em alta velocidade no distrito do sul de Garmsir, alvo de protestos violentos, de acordo com a Otan.

 

A ONU afirma que o número de civis afegãos mortos pelos Estados Unidos e outras forças internacionais caiu drasticamante depois que o general Stanley McChrystal definiu regras para o uso de e outros armamentos para reduzir as baixas civis. Mas o tiroteio de domingo revelou que os afegãos ainda enfrentam perigo.

 

O homem afegão morreu neste domingo após ser atingido por uma bala no peito, segundo um comunicado da Otan. Ele era uma de seis pessoas viajando em alta velocidade em um veículo sem faróis, e foi transportado a um centro médico na base operante de Dwyer, mas não resistiu aos ferimentos. Nenhum dos outros cinco passageiros foi ferido. Uma investigação conjunta da Otan e de oficiais afegãos está sendo preparada.

 

Garmsir tem sido o local de demonstrações violentas da população nesta semana, depois de rumores de que as forças da Otan profanaram o Alcorão. A Otan desmente os rumores.

 

Governador assassinado

 

Um governador de um distrito afegão e cinco policiais foram assassinados em uma emboscada do Taleban na província ocidental de Herat, afirmou à Reuters o chefe policial regional,Esmatullah Alizai .

 

O ataque ocorreu quando os funcionários circulavam por uma rota no distrito remoto de Chesht Sharif.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.