Civis fogem de Sirte; batalha na cidade líbia dificulta ajuda, diz ONU

Forças do governo interino continuam com bombardeios e ataques a reduto de Kadafi

JOSE, REUTERS

30 Setembro 2011 | 11h14

Civis fugiram na sexta-feira, 30, de Sirte, enquanto forças do governo interino bombardeavam a cidade litorânea, num esforço para desalojar combatentes leais ao deposto líder Muamar Kadafi.

Veja também:
forum OPINE: 
Onde se esconde Kadafi?
especialESPECIAL: Quatro décadas de ditadura na Líbia
lista ARQUIVO: ‘Os líbios deveriam chorar’, dizia Kadafi

A prolongada batalha por Sirte, cidade natal de Kadafi, sitiada por três lados, motiva uma crescente preocupação pela situação dos civis ali retidos. Os dois lados se acusam mutuamente de colocar em risco os 100 mil habitantes de lá.

Desde a madrugada, um constante fluxo de veículos deixava a cidade. Nas frentes leste e oeste, disparos de foguetes e tanques continuavam sendo feitos por ambos os lados, enquanto uma fumaça escura se erguia na direção do centro. Aviões da Otan sobrevoavam a região.

"Não há lojas para (comprar) comida, está tudo fechado," disse à Reuters um morador que se identificou como Mohammed. "Não há remédios, temos escassez de tudo."

Em um hospital de campanha perto da frente leste, médicos disseram que uma idosa morreu de desnutrição na manhã de sexta-feira, e que outros casos do tipo já foram registrados.

Algumas famílias que deixavam Sirte pelo oeste relataram à Reuters que já não comiam há dois dias.

Um homem, ferido na perna esquerda por estilhaços, disse que o hospital de Sirte está sem energia e com poucos suprimentos. Ele contou que um médico tentou suturar sua ferida à luz de um celular.

"Fui ferido no meu jardim às 13h, mas fiquei em casa até à noite, por causa do fogo pesado," disse Mohammed Abudullah num hospital de campo fora da cidade.

Partidários de Kadafi e alguns civis dizem que os bombardeios aéreos da Otan e os disparos das forças do Conselho Nacional de Transição (CNT) resultaram na morte de civis.

A Otan e o CNT negam isso. Eles e alguns outros civis que estavam saindo da cidade relataram que combatentes pró-Gaddafi estão executando pessoas suspeitas de nutrirem simpatia pelo CNT.

"Não é o pessoal de Kadafi nem o seu pessoal," gritava um idoso, gesticulando para os combatentes do CNT num posto de controle na saída de Sirte. "São os aviões franceses que estão nos atingindo noite e dia. Eles derrubaram o teto da nossa casa. É assim que nos toca morrer?"

Ahmad Mohammed Yahya contou à Reuters que há combates nas ruas quase todas as noites, e que os partidários de Kadafi estão recrutando moradores. "Às vezes eles oferecem uma arma, e às vezes eles levam as pessoas e as obrigam a lutar."

Mais conteúdo sobre:
Líbia Sirte batalha Kadafi

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.