Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Clérigo anti-EUA incita realização de referendo para escolher premiê do Iraque

Pedido certamente não será atentido, mas gera mais tensões no conturbado cenário pós-eleitoral iraquiano

30 de março de 2010 | 18h21

Associated Press

 

BAGDÁ- Um clérigo xiita anti-americano conclamou nesta terça-feira, 30, um referendo para decidir quem será o primeiro-ministro do Iraque, propósito que certamente falhará mas que gera mais tensões no já conturbado cenário pós-eleições do país.

 

Veja também:

link Allawi critica influência iraniana na formação política do Iraque

 

Muqtada al-Sadr, que lidera um partido religioso xiita que ganhou 39 cadeiras no Parlamento nas eleições legislativas de 7 de março, poderá encabeçar esforços para formar uma coalizão do governo.

 

Seu pedido para a realização de um referendo foi feito em um comunicado publicado em sua página na internet.

 

Um referendo iria contra a Constituição iraquiana, que dita que o presidente escolhe um premiê do maior bloco no Parlamento. Após a escolha, um novo governo é formado em 30 dias.

 

As intenções de Al-Dadr não ficaram totalmente claras, mas podem ser um esforço para apoiar a opinião pública, frustrada com semanas e talvez até meses de incerteza antes de um novo governo ser formado no país.

 

O apelo do clérigo ocorre no momento em que o primeiro-ministro, Nouri al-Maliki, desafia o ganhador do pleito para formar o próximo governo e possivelmente assumi-lo.

 

O ex-premiê Ayad Allawi, um xiita secular que teve forte apoio dos sunitas, derrotou al-Maliki no pleito, com 91 das 325 cadeiras do Parlamento.

 

Al-Maliki pediu a recontagem de votos e também a destituição da candidatura de vários aliados de Allawi, por supostamente terem vínculos com Saddam Hussein.

 

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõesIraquereferendo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.