Colonos judeus lembram a Netanyahu promessa de retomar construção

Primeiro-ministro começa negociações diretas com palestinos nesta semana

Efe

30 de agosto de 2010 | 12h16

O conselho de assentamentos judaicos na Cisjordânia retomou hoje, um dia antes de o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu viajar para Washington para negociações de paz com os palestinos, uma campanha para que ele cumpra sua promessa de continuar construindo nas colônias.

Veja também:

especial Infográfico: As fronteiras da guerra no Oriente Médio

especial Linha do tempo: Idas e vindas das negociações de paz

forum Enquete: Qual a melhor solução para o conflito?

 

Os anúncios, que aparecem nos principais jornais lembra as promessas tanto de Netanyahu em dezembro do ano passado, como a de outros ministros ao longo do ano, que o congelamento de dez meses declarado por Israel é único e improrrogável quando chegar a seu fim, no dia 26 de setembro.

Lançada pela primeira vez em julho pelo chamado Conselho da Judeia, Samaria e Gaza, ou "Conselho de Yesha", os anúncios são apoiados há semanas por gigantescos cartazes nos principais cruzamentos e ruas de Israel, exortando o público a exigir de seus políticos que cumpram suas promessas.

 

Netanyahu não tem intenção de anunciar a continuação da moratória por motivos políticos internos, mas não se descarta que a continue em silêncio.

 

Os projetos de construção em território ocupado dependem da aprovação do Ministério da Defesa, que está nas mãos do dirigente trabalhista Ehud Barak.

 

O presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, advertiu ontem à noite Israel que não construa nos assentamentos se quer que as negociações de paz que começam na próxima quinta-feira em Washington cheguem a um bom termo.

Leia ainda:

linkDois terços dos palestinos apoiam negociações com Israel

link Netanyahu sinaliza que pode retomar assentamentos na Cisjordânia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.