Colonos judeus profanam túmulos de cemitério muçulmano

Dezenas pintaram frases como 'Maomé é um porco' em mesquita e atacaram um grupo de soldados

Efe,

20 de novembro de 2008 | 15h39

Dezenas de colonos judeus entraram em confronto nesta quinta-feira, 20, com as forças de segurança de Israel na cidade cisjordaniana de Hebron, onde pintaram a frase "Maomé é um porco" em uma mesquita e profanaram várias túmulos de um cemitério palestino. Após agredirem transeuntes palestinos, os colonos atacaram um grupo de soldados posicionados junto a um imóvel em disputa, feriram um deles, contra o qual jogaram aguarrás, e danificaram veículos da Polícia e do Exército, segundo fontes da polícia. Foto: Efe Os confrontos aconteceram nas proximidades de um edifício ocupado por colonos em março de 2007, que a Corte Suprema de Israel ordenou a desocupação no último domingo no prazo de três dias ao considerar que falsificaram os documentos. O edifício está ao lado da estrada que liga o assentamento judaico de Kiryat Arba e o Túmulo dos Patriarcas em Hebron, onde, segundo a tradição, está enterrado Abraão. Foto: Efe Desde a última terça mais de 600 ativistas ultranacionalistas cercaram o imóvel para impedir sua desocupação. A violência dos colonos desencadeou uma onda de condenações. "Este é o momento de prova do regime democrático israelense", declarou nesta quinta o ministro de Segurança Interior, Avi Dichter, em reunião com altos comandantes da polícia. Foto: Reuters As autoridades disseram que cumprirão a ordem do tribunal no prazo de um mês, quando a situação se acalmar e os colonos baixarem a guarda. "No prazo de 30 dias o edifício será desocupado e o Estado o terá sob seu controle até que os tribunais decidam" (que fazer com ele), concluiu Dichter.

Tudo o que sabemos sobre:
Israelpalestinos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.