Com 93% dos votos apurados, oposição lidera no Iraque

Ex-premiê Allawi tem quase 8.000 votos a mais do que atual primeiro-ministro

20 de março de 2010 | 12h34

Agência Estado e Efe   

 

BAGDÁ- O candidato da oposição ao governo do Iraque voltou a avançar na contagem dos votos das eleições parlamentares locais, agora que a apuração está quase completa. Resultados parciais divulgados neste sábado, 20, mostram que o ex-primeiro ministro Ayad Allawi lidera por 7.970 votos. A diferença é baseada em uma amostra de 93% dos votos apurados. 

 

Veja também:

linkBlair é acusado de ganhar dinheiro com guerra no Iraque    

A coalizão do atual primeiro-ministro, Nouri al-Maliki, ainda está vencendo em 7 das 18 províncias do Iraque, em comparação com as cinco províncias lideradas pela Aliança Iraquiana, coalizão de Allawi. Isso é significativo, pois as 325 cadeiras do parlamento são alocadas por províncias.

A leve liderança em escala nacional do xiita Allawi reflete forte suporte a ele na província etnicamente mesclada Diyala e entre alguns sunitas em Bagdá.

 

Segundo números divulgados pelo site da Comissão Suprema Eleitoral Independente, "a Al Iraqiya obteve até agora 2.543.632 votos, enquanto a coalizão do atual chefe de Governo iraquiano, Nouri al-Maliki, adquiriu 2.535.704 votos" das eleições realizadas em 7 de março passado.

 

Em terceiro lugar está a Aliança Nacional Iraquiana, dominada pelos xiitas, com 1.915.167 votos. Já a Aliança Curda figura em quarto lugar, com 1.364.882 votos.

 

Ainda assim, al-Maliki continua liderando a apuração em Bagdá e em outras seis províncias do centro e do sul do país.

 

Já Allawi vence nas províncias de Diyala, Salah ad-Din, Ninawa, Kirkuk e Al-Anbar, de maioria sunita.

 

A Aliança Nacional Iraquiana está na frente dos demais nas províncias de Dhi Qar, Al-Qadisiya e Misán, enquanto a coalizão curda vai vencendo nas províncias curdas Arbil, Sulaimaniya e Dahuk.

 

O Parlamento eleito, de 325 cadeiras, se encarregará d designar o próximo presidente iraquiano, com limitadas funções executivas. Dele surgirá também a próxima coalizão governante.

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçãoIraqueliderançavotos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.