Comandante dos EUA no Iraque quer mais tropas até 2008

Os EUA teriam dificuldades em manter o nível atual de tropas, com 170.000 homens no Iraque, indefinidamente

Associated Press,

07 de setembro de 2007 | 13h07

O principal comandante dos EUA no Iraque afirma que quer continuar aumentando o número de soldados no país até o primeiro semestre de 2008, em meio a divisões no governo Bush sobre a conveniência de iniciar a retirada das tropas meses antes disso.   Quando fizer seu relatório ao Congresso na segunda-feira, o general David Petraeus deverá aconselhar uma redução gradual no contingente a partir do segundo trimestre, por conta do sucesso obtido pela escalada de forças ordenada pelo presidente George W. Bush.   "Com base no progresso que nossas forças vem atingindo, espero poder recomendar  que parte de nossas forças seja retirada sem substituição", diz e-mail enviado por Petreaus ao jornal Boston Globe, e publicado na edição desta sexta-feira.   No início da semana, a Associated Press havia informado que Petraeus e o embaixador Ryan Crocker recomendaram que Bush mantivesse a estratégia atual na condução da guerra. Mas eles também disseram que o presidente contemplava uma redução simbólica no número de soldados até o final deste ano.   Os EUA teriam dificuldades em manter o nível atual de comprometimento, com 170.000 homens no Iraque, indefinidamente. Reduzir o nível de tropas antes de 2008 traz o risco de "desmontar" os ganhos de segurança obtidos durante o recente aumento do efetivo, disse o principal porta-voz de Petraeus, Steve Boylan.   As cinco brigadas enviadas como parte da escalada de tropas chegaram ao Iraque entre janeiro e junho, e a primeira completará seu turno de serviço de 15 meses em abril.

Tudo o que sabemos sobre:
iraquebushpetraeus

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.