Sabri Elmhedwi/Efe
Sabri Elmhedwi/Efe

Comandante rebelde líbio será novo ministro da Defesa, diz fonte

CNT deve anunciar oficialmente a composição do gabinete ainda nesta terça-feira, 22

FRANÇOIS MUR, REUTERS

22 de novembro de 2011 | 10h36

TRÍPOLI - O Conselho Nacional de Transição (CNT, governo provisório) da Líbia nomeou para o cargo de ministro da Defesa o comandante de um contingente que no fim de semana capturou um filho foragido de Muamar Kadafi, disse uma fonte do CNT à Reuters nesta terça-feira, 22.

O chefe do conselho militar em Zintan, Osama al Juwali, integrará um gabinete dominado por políticos laicos e liberais, sem presença importante de grupos islâmicos que vêm tentando participar do poder desde a queda de Kadafi.

No fim de semana, um dos filhos de Kadafi, Saif al Islam, foi capturado no deserto do sul da Líbia. O procurador-chefe do Tribunal Penal Internacional, Luis Moreno Ocampo, vai reunir-se nesta terça-feira em Trípoli com funcionários do CNT para discutir o destino do prisioneiro.

Moreno-Ocampo disse ao chegar a Trípoli que Saif al Islam poderia ser julgado na própria Líbia, se o sistema judiciário do país tiver condições para isso.

Kadafi, que passou 42 anos governando a Líbia, foi deposto em agosto por forças rebeldes apoiadas pela Otan. Passou dois meses foragido, até ser capturado e morto no mês passado em sua cidade natal, Sirte.

Agora, o desafio do novo regime é montar um gabinete que equilibre facções regionais e ideológicas rivais.

A nova composição do governo - que irá comandar o país até a realização de eleições - foi definida pelo CNT numa reunião na segunda-feira à noite, disse à Reuters uma fonte que viu uma lista de nomeações, e que pediu anonimato.

Mas, num sinal das tensões que cercam a formação do gabinete, essa fonte disse que alguns integrantes do CNT reabriram as discussões depois de terem inicialmente acatado as indicações.

Não ficou claro quais cargos estão sendo renegociados.

A fonte afirmou que o embaixador-adjunto da Líbia na ONU, Ibrahim Dabbashi, será nomeado chanceler; Hassam Ziglam, executivo da estatal líbia do petróleo, ocupará a pasta do setor; e que o ministro das Finanças do governo provisório, Ali Tarhouni, será mantido no cargo.

Juwali não era cotado para a pasta da Defesa, mas aparentemente passou a ser considerado depois da captura de Saif al Islam por seus subordinados. Ex-oficial do Exército de Kadafi, ele comandou a partir de Zintan um contingente que foi crucial na ofensiva rebelde que dominou Trípoli e depôs Kadafi em agosto.

O CNT deve anunciar oficialmente a composição do gabinete ainda nesta terça-feira.

Tudo o que sabemos sobre:
LIBIAMINISTRO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.