Combates em Damasco fecham principal estrada para aeroporto sírio

Devido a choques, empresa aérea Emirates anunciou suspensão de voos para a Síria

Reuters

29 de novembro de 2012 | 14h05

DAMASCO - Rebeldes sírios enfrentaram as forças leais ao presidente Bashar Assad fora de Damasco nesta quinta-feira, 29, forçando o fechamento da principal estrada para o aeroporto. A companhia aérea Emirates, de Dubai, suspendeu voos para a capital síria.

O Observatório Sírio para os Direitos Humanos, sediado na Grã-Bretanha, disse que o combate ao longo da estrada que segue para o aeroporto, a sudeste de Damasco, estava mais pesado nessa área que em qualquer outra época do levante de 20 meses contra Assad. "Houve combates pesados em todas as áreas ao longo da estrada", afirmou o diretor do Observatório Rami Abdelrahman à Reuters por telefone. Ele disse que os confrontos foram particularmente intensos em Babbila, um subúrbio ao sul na fronteira com o reduto insurgente de Tadamon.

Moradores disseram que as conexões de Internet na capital caíram no início da tarde e as linhas telefônicas móveis e fixas só funcionavam de forma intermitente, no que eles disseram ser a pior interrupção de comunicação desde que o conflito eclodiu no ano passado.

'Até nova ordem'

 

A Emirates informou que estava suspendendo os voos diários para Damasco "até nova ordem", mas outras companhias aéreas continuaram as operações. Em outra parte da capital, aviões de guerra bombardearam Kafr Souseh e Daraya, dois bairros que rodeiam o centro da cidade onde os rebeldes conseguiram se esconder e emboscar unidades do Exército, relataram ativistas da oposição.

 

As últimas duas semanas foram de ganhos militares dos rebeldes, que invadiram e tomaram bases militares em toda a Síria, expondo a perda de controle de Assad em regiões do norte e do leste, apesar do poder aéreo devastador que ele tem usado para bombardear redutos da oposição. Um oficial sênior da União Europeia disse que Assad parecia estar se preparando para um confronto militar nos arredores de Damasco, possivelmente, isolando a cidade com uma rede de postos de controle. "Os rebeldes estão ganhando terreno, mas ainda é bastante lento. Nós ainda não estamos testemunhando os últimos dias", disse um oficial sob condição de anonimato. "Nos arredores de Damasco, há morteiros e mais ataques. O regime está pensando em se proteger com postos de controle nos próximos dias. Parece que o regime se prepara para uma grande batalha em Damasco".

No norte do país, unidades rebeldes lançaram uma ofensiva para tomar uma base militar perto da estrada principal norte-sul, que lhes permitiria bloquear os movimentos de tropas e cortar a principal rota de fornecimento de Assad para Alepo, a maior cidade da Síria. Assad está lutando contra uma insurgência que emergiu de protestos pacíficos há 20 meses e se intensificou, após uma repressão, para uma guerra civil em que 40 mil pessoas foram mortas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.