Começa trégua entre Israel e milícias palestinas

Cessar-fogo tem início após um dia de intensa violência e deve durar seis meses

Efe,

19 de junho de 2008 | 01h34

O cessar-fogo de seis meses entre Israel e as milícias palestinas na Faixa de Gaza teve início nesta quinta-feira, 19, às 6 horas no horário local (0h de Brasília).   Até o momento, não foi registrado nenhum incidente violento após a declaração do cessar-fogo.   A trégua teve início após um intenso dia de violência, no qual as milícias palestinas lançaram cerca de 30 foguetes de fabricação caseira e uma dezena de bombas contra Israel, sem causar vítimas.   O Exército israelense, por sua parte, efetuou dois ataques aéreos contra milicianos na Faixa, provocando a morte de cinco insurgentes.   O acordo para a interrupção das hostilidades foi firmado esta semana, com a mediação do Egito, e deverá ter duração de seis meses.   Israel não divulgou oficialmente os compromissos assumidos, mas os palestinos indicaram que os termos do pacto exigem a cessação dos ataques de todas as milícias, assim como a contenção das operações israelenses, o fim do bloqueio imposto à Faixa de Gaza e a reabertura progressiva dos postos fronteiriços.   Em Israel, a entrada em vigor da trégua foi vista com incredulidade, sobretudo nas regiões limítrofes com Gaza.   O primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, reconheceu na quarta-feira que o Governo do país "não alimenta ilusões". "A calma é temporária, e pode ser muito curta", afirmou.   Antes da trégua   Um miliciano palestino morreu nesta quinta-feira (hora local) após ser atingido por um ataque do Exército israelense, momentos antes da entrada em vigor do cessar-fogo entre Israel e as milícias palestinas em Gaza, informou a rádio israelense.   A morte, que pode ter sido de um militante do Hamas, ocorreu pouco antes das 6 horas (0h de Brasília), momento no qual começou o cessar-fogo.   Segundo confirmou à Efe um porta-voz do Exército, "por volta das 4h30 (no horário local) ocorreu um ataque aéreo no centro da Faixa de Gaza, contra uma unidade que pretendia lançar um foguete".

Mais conteúdo sobre:
IsraelFaixa de Gazapalestino

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.