Comércio fecha em bazar de Teerã após protestos

As lojas do Grande Bazar de Teerã ficaram fechadas nesta quinta-feira, e a polícia realizou patrulha na área, um dia depois de confrontos entre forças de segurança e manifestantes insatisfeitos com a desvalorização da moeda local.

Reuters

04 de outubro de 2012 | 10h49

Comerciantes do bazar, onde em 1979 houve grande apoio à Revolução Islâmica, disseram por telefone à Reuters que a maioria das lojas ficou fechada por razões de segurança.

Na quarta-feira, a tropa de choque da polícia entrou em confronto com manifestantes e prendeu doleiros na região do bazar, durante protestos motivados pela desvalorização do rial, que perdeu cerca de um terço do seu valor frente ao dólar nos últimos dez dias.

Associações comerciais responsabilizaram o presidente Mahmoud Ahmadinejad pela crise econômica, que foi alimentada por sanções ocidentais por causa do programa nuclear iraniano.

Mas, num sinal de que não há risco para o sistema islâmico de governo ou para o líder supremo do país, aiatolá Ali Khamenei, as associações disseram em nota que "continuam a aderir ao sistema e à revolução", segundo a agência de notícias Mehr.

As associações informaram também que o bazar deve reabrir no sábado, com presença da polícia.

(Por Marcus George e Yeganeh Torbati)

Tudo o que sabemos sobre:
IRAPROTESTOMERCADO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.