Comissão eleitoral afegã verifica fraude e pede recontagem

A comissão eleitoral afegã, vinculada parcialmente à ONU, afirmou nesta terça-feira que encontrou "evidências claras e convincentes de fraude" nas eleições presidenciais do mês passado, e ordenou uma recontagem parcial.

REUTERS

08 de setembro de 2009 | 09h15

A comissão, que avalia as queixas eleitorais, afirmou em comunicado que os votos devem ser recontados e auditados para qualquer zona eleitoral com mais de 600 votos registrados.

Eles também devem ser recontados em qualquer zona eleitoral onde um candidato recebeu mais de 95 por cento dos votos em seções com mais de 100 votos.

"No curso das investigações, a comissão encontrou claras e convincentes evidências de fraude em diversas zonas eleitorais", explicou a comissão em comunicado.

"A comissão observou ainda que uma grande maioria de zonas eleitorais nas quais encontrou fraude tinha um número de urnas muito acima do que se planejou com base em relatórios de vigilantes sobre quantidade de eleitores", explicou..

A comissão é encabeçada por um canadense e três de seus cinco membros foram indicados pela ONU.

Tudo o que sabemos sobre:
AFEGANISTAOELEICAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.