Comissão turca conclui que ataque israelense foi premeditado

Relatório foi divulgado depois da revelação do relatório israelense que desculpa seus soldados pelas mortes

25 de janeiro de 2011 | 14h06

ISTAMBUL - A comissão turca que estuda o ataque israelense ao comboio humanitário, que em 31 de maio provocou a morte de nove ativistas turcos, concluiu que o ataque das Forças Armadas de Israel foi "premeditado".

 

Veja também:

link Turquia condena relatório israelense sobre ação contra barco humanitário para Gaza

link Investigação de Israel diz que ataque contra barco humanitário para Gaza foi 'legal'

 

Diante da revelação no último domingo do relatório israelense que desculpa seus soldados pelas mortes, a comissão turca divulgou a imprensa suas conclusões que já havia enviado à comissão internacional da ONU, mas não havia divulgado ao público.

 

"Os soldados israelenses dispararam a partir do helicóptero contra o Mavi Marmara (a principal embarcação do comboio) utilizando munição real e matando dois passageiros antes dos soldados israelenses chegasse ao prédio", afirma o relatório turco.

 

Um alto funcionário do Ministério de Assuntos Exteriores turco, que participou da comissão de investigação e exigiu o anonimato, explicou nesta terça à imprensa que o fato de os soldados israelenses dispararem a partir dos helicópteros invalida a justificativa do relatório israelense de que os disparos foram em legítima defesa.

 

Nele, também se explica que as autoridades portuárias turcas comprovaram "meticulosamente" a carga dos navios da frota, assim como a bagagem dos passageiros e "não encontrou nenhum tipo de armas de fogo ou armas".

 

O representante ministerial turco reconheceu que "não foi inteligente" defender-se com facas de cozinha do navio diante dos soldados israelenses, mas atribuiu esta ação ao "medo de serem assassinados" pelas forças do Estado judeu.

 

O alto funcionário turco se mostrou descontente pelo fato de Israel ter divulgado o relatório por conta e criticou que o Estado judeu não tenha cooperado com os organismos da ONU que investigam o incidente.

Tudo o que sabemos sobre:
ataque israelense

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.