Companhia militar que torturou em Abu Ghraib pode voltar ao Iraque

Companhia militar que torturou em Abu Ghraib pode voltar ao Iraque

Sete membros da 372ª Companhia foram condenados por torturarem prisioneiros em 2004

09 de abril de 2010 | 17h23

Associated Press

 

CRESAPTOWN-  O Exército americano afirmou nesta sexta-feira, 9, que o grupo de oficiais marcado pelo escândalos de tortura na prisão de Abu Ghraib foram mobilizados para sua primeira operação desde que o caso veio à tona há seis anos.

 

Segundo um porta-voz, a 372ª Companhia da Polícia Militar de Cresaptown, em Maryland, está agendada para retornar ao Iraque, mas estes planos podem mudar.

 

De acordo com o oficial, eles irão partir em 29 de abril para três meses de treinamento em Fort Bliss, no Texas, seguido de operações no exterior.

 

A 372ª Companhia ficou internacionalmente conhecida em 2004, quando sete membros dela foram acusados por torturarem prisioneiros no cárcere iraquiano. Todos foram condenados e seis cumpriram prisão.

 

Ainda segundo o porta-voz, a atual unidade tem menos membros, e possui total confiança do Exército.

Tudo o que sabemos sobre:
IraquetorturaAbu GhraibExércitoEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.