Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Condoleezza Rice pede fim dos ataques do Hamas contra Israel

Na próxima semana, secretária fará nova viagem ao Oriente Médio para discutir processo de paz

Efe,

28 de fevereiro de 2008 | 01h46

A secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, pediu nesta quinta-feira, 28, o fim dos ataques com mísseis do Hamas contra Israel, após sua reunião, em Tóquio, com o primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert. Pelo menos 13 palestinos foram mortos na quarta-feira, em uma nova escalada de violência nos territórios palestinos e no sul de Israel. Israel ataca gabinete do líder do Hamas em GazaIsrael e Hamas se enfrentam na fronteira de GazaAtaque israelita na Faixa de Gaza mata bebê e deixa 30 feridos Em declarações à imprensa americana que a acompanha em sua viagem ao Japão, a chefe da diplomacia americana revelou ter dito ao primeiro-ministro (israelense) que "lamentava a morte de um universitário israelense". "Os ataques com foguetes têm que acabar", apontou Rice, que na semana que vem realizará uma nova viagem ao Oriente Médio para tentar avançar no processo de paz, apesar da violência suscitada nos últimos dias. Um israelense de 47 anos morreu na quarta-feira em conseqüência de um foguete lançado pelo Hamas de Gaza. Na represália militar de Israel, foram mortos 13 palestinos, dentre os quais quatro crianças. O último ataque israelense foi contra a sede do Ministério do Interior, o organismo do qual o Hamas dirige sua Força Executiva.  Em Tóquio, a secretária de Estado americana condenou os ataques do Hamas - grupo que considera "responsável pelo que ocorre em Gaza" -, e expressou sua preocupação com a situação humanitária nos territórios palestinos. "Estou preocupada com as condições humanitárias em Gaza, e com os habitantes que estão sendo afetados", assinalou.

Tudo o que sabemos sobre:
HamasIsraelCondoleezza Rice

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.