Confronto entre facções rivais mata 16 no Iraque

Al-qaeda e Exército Islâmico lutam pelo controle de grandes cidades sunitas por todo o país

Reuters,

27 de outubro de 2007 | 14h35

Um confronto entre a Al-Qaeda e o grupo Exército Islâmico matou pelo menos 16 militantes numa região próxima à cidade de Samarra, no Iraque, na sexta-feira, afirmou uma autoridade neste sábado, 27.   O Exército Islâmico, grupo nacionalista que assumiu uma postura hostil em relação à Al-Qaeda desde junho, disputa com a organização rival o controle de grandes cidades sunitas no Iraque, onde muitos habitantes são contrários à violência da Al-Qaeda.   Uma fonte do setor de segurança da província de Salahuddin revelou, sob condição de anonimato, que dois árabes não-iraquianos e um iraniano estavam entre os mortos no conflito.   "Os confrontos terminaram na sexta, com militantes do Exército Islâmico assumindo o controle da área", afirmou a fonte. A região era controlada pela Al-Qaeda há meses.   "Nenhuma força iraquiana ou norte-americana interveio na batalha", acrescentou.   A Al-Qaeda enfrenta pressões crescentes da comunidade sunita no Iraque, especialmente de líderes tribais e de grupos insurgentes locais. Os sinais de enfraquecimento do apoio foram ressaltados pela fala de Osama Bin Laden, comandante da organização, numa fita de áudio divulgada na segunda-feira.   Na fita, Bin Laden admite que erros foram cometidos por conta do fanatismo dentro da Al-Qaeda, mas pediu aos grupos insurgentes iraquianos que se unissem ao braço da organização no país.   Membros de diversos grupos insurgentes se associaram aos EUA e a tropas iraquianas para destituir o controle da Al-Qaeda sobre áreas sunitas, especialmente em Dyiala.

Tudo o que sabemos sobre:
Iraqueal-qaeda

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.