Confronto entre palestinos mata 1 na Cisjordânia

Um manifestante palestino foi morto naterça-feira durante um protesto contra a conferência de paz queocorre nos EUA. Houve confronto entre as forças de segurança,leais ao presidente Mahmoud Abbas, e a oposição islâmica, que oqualifica de traidor. Fontes hospitalares disseram que um homem de 35 anos morreuem Hebron depois de ser baleado no peito, e que 16 outraspessoas ficaram feridas. Manifestantes disseram que um policial palestino fez osdisparos durante a manifestação em Hebron, uma das váriasorganizadas em toda a Cisjordânia por um pequeno grupo islâmicocontrário à possível retomada do processo de paz com Israel. A polícia negou que os agentes tenham sido responsáveispela morte. Em Gaza, controlada desde junho pelo grupo islâmico Hamas,dezenas de milhares de pessoas saíram às ruas gritando "Morte aIsrael, morte à América" e chamando Abbas de "traidor" poraceitar a existência do Estado judeu e a possibilidade de criarum Estado palestino apenas na Cisjordânia e na Faixa de Gaza. Abbas, o premiê de Israel, Ehud Olmert, e o presidente dosEUA, George W. Bush, prometeram na terça-feira iniciarimediatamente um processo de paz destinado a chegar a um acordoaté o final de 2008. Para o Hamas, tal processo é "perda detempo". A vitória do Hamas nas eleições parlamentares de 2006, seucontrole sobre Gaza e a presença de uma oposição substancial àfacção laica Fatah, de Abbas, até mesmo na Cisjordânia sãoalgumas das razões citadas para colocar em dúvida o processo depaz. "Eles podem ir a mil conferências, dizemos em nome do povopalestino que não autorizamos ninguém a assinar nenhum acordoque abale nossos direitos", disse Mahmoud Al Zahar, líder doHamas, à maior das manifestações, em Gaza. (Reportagem adicional de Nidal al-Mughrabi em Gaza, AliSawafta em Ramallah, Atef Sa'ed em Nablus e Joseph Nasr emJerusalém)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.