Confrontos deixam 7 mortos nas fronteiras de Israel com Egito e Gaza

Militantes que atravessaram a fronteira do deserto do Sinai, no Egito, para Israel atiraram em israelenses que trabalhavam na construção de uma barreira, nesta segunda-feira, matando um trabalhador. Em resposta, os soldados mataram dois invasores, disse o Exército de Israel.

MAAYAN LUBELL, REUTERS

18 de junho de 2012 | 19h14

Horas depois, um ataque aéreo israelense matou quatro palestinos na Faixa de Gaza, incluindo dois militantes do grupo Jihad Islâmica em uma motocicleta. Dois outros militantes foram mortos enquanto tentavam atirar um foguete, segundo Israel.

O ataque no Sinai, lançado logo após a Irmandade Muçulmana do Egito declarar vitória nas eleições presidenciais do país, aumentou as preocupações israelenses sobre a falta de controle na região desde a queda do ex-presidente egípcio Hosni Mubarak, em 2011.

"Podemos ver uma deterioração preocupante no controle do Egito sobre a segurança do Sinai", disse o ministro da Defesa israelense, Ehud Barak, ao comentar sobre o ataque.

"Estamos aguardando os resultados das eleições. Qualquer um que ganhar, esperamos que assuma a responsabilidade sobre todos os compromissos internacionais do Egito, incluindo o tratado de paz com Israel (1979) e medidas de segurança no Sinai, e que ponha fim a esses ataques rapidamente", afirmou a repórteres.

Três homens armados cruzaram a fronteira com Israel a partir do deserto do Sinai, informou o Exército israelense. O porta-voz Yoav Mordechai disse que "um esquadrão terrorista abriu fogo e, possivelmente, também disparou um foguete anti-tanque em uma área onde Israel está construindo a cerca da fronteira".

Os soldados que correram para o local mataram dois dos militantes mas não conseguiram encontrar o terceiro, que pode ter retornado ao Egito, disseram os militares.

Uma fonte militar disse que o trabalhador morto era um cidadão árabe de Israel. Não houve reivindicação imediata de responsabilidade pelo ataque, a cerca de 30 quilômetros da Faixa de Gaza.

Militantes palestinos na Faixa de Gaza, comandada pelo grupo islâmico Hamas, lançaram foguetes contra Israel a partir do território costeiro no passado. Israel diz que militantes palestinos também cruzaram para o Sinai para lançar ataques semelhantes no seu território.

Na noite de domingo, aviões israelenses realizaram uma série de ataques na Faixa de Gaza em resposta aos disparos de foguetes a partir do enclave. Fontes médicas em Gaza disseram que sete pessoas ficaram feridas.

(Reportagem adicional de Saleh Salem, em Gaza)

Mais conteúdo sobre:
ORMEDCONFRONTOSMORTES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.