Confrontos entre polícia e manifestantes acampados deixam 13 mortos no Iraque

Confrontos irromperam nesta segunda-feira em Ramadi, na província de Anbar, no oeste do Iraque, quando a polícia tentou desmantelar um acampamento de protesto de muçulmanos sunitas, o que deixou um saldo de pelo menos 13 mortos, segundo fontes médicas e da polícia.

Reuters

30 de dezembro de 2013 | 20h00

O acampamento é fonte de irritação para o governo liderado pelo primeiro-ministro xiita Nuri Al-Maliki desde que foi estabelecido há um ano pelos sunitas, que protestam contra o que consideram ser um tratamento marginal que recebem do governo.

A operação policial desencadeou uma imediata reação política e dezenas de parlamentares sunitas apresentaram sua renúncia.

Maliki, que tentará um terceiro mandato na eleição de abril, vinha repetidamente prometendo remover o acampamento e acusando os manifestantes de instigar conflitos e ter o apoio de militantes ligados à Al Qaeda.

Fontes da polícia disseram que o confronto irrompeu quando homens armados abriram fogo contra forças especiais que tentavam entrar em Ramadi, a cidade onde o acampamento está localizado.

A violência no país deu um salto neste ano, com ataques de militantes da Al Qaeda contra alvos do governo e qualquer pessoa que eles considerem que o apoie, o que eleva no país o medo do retorno do conflito sectário de 2006-07, no qual foram mortas dezenas de milhares de pessoas.

Nesta segunda-feira, outras 11 pessoas morreram em ataques separados em várias partes do Iraque.

(Reportagem de Kamal Namaa)

Tudo o que sabemos sobre:
IRAQUECONFRONTOSACAMPAMENTO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.