Confrontos sectários matam mais 30 e elevam tensão no Iraque

Mais de 30 pessoas morreram nesta quarta-feira em confrontos entre militantes e forças de segurança no Iraque, no segundo dia de tensão sectária decorrente da ação militar contra um acampamento de manifestantes sunitas.

PATRICK MARKEY E SUADAD AL-SALHY, Reuters

24 de abril de 2013 | 19h45

Desde dezembro, milhares de muçulmanos sunitas vêm realizando protestos contra uma suposta discriminação por parte do governo do primeiro-ministro xiita Nuri al Maliki.

Na terça-feira, soldados desmantelaram um acampamento de manifestantes sunitas nos arredores de Kirkuk, cerca de 170 quilômetros ao norte de Bagdá, e mais de 50 pessoas morreram nos confrontos subsequentes.

Choques esporádicos continuaram sendo registrados na quarta-feira, e líderes tribais radicais alertaram para o risco de que os protestos se transformem em uma revolta ostensiva contra o governo. Diplomatas estrangeiros e sunitas moderados pediram calma aos envolvidos.

No pior incidente, militantes chegaram a ocupar uma delegacia e um quartel na localidade de Sulaiman Pek, 160 quilômetros ao norte de Bagdá, além de queimarem uma pequena mesquita xiita, antes que helicópteros expulsassem os militantes da cidade. Pelo menos 18 pessoas morreram.

(Reportagem adicional de Ahmed Rasheed em Bagdá)

Tudo o que sabemos sobre:
IRAQUESUNITA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.