Bebeto Matthews/AP
Bebeto Matthews/AP

Conselho da ONU entrega pedido palestino a comitê de revisão

Primeira reunião deverá ocorrer na sexta; período de revisão, de no máximo 35 dias, pode ser ampliado

REUTERS

28 Setembro 2011 | 12h10

NAÇÕES UNIDAS - O Conselho de Segurança da ONU concordou de forma unânime, nesta quarta-feira, 28, em entregar o pedido palestino para integrar a Organização das Nações Unidas a um comitê que o avaliará nas próximas semanas.

 

Veja também:

blog ENTENDA: A divisão do Conselho de Segurança

documento HOT SITE: A busca pelo Estado palestino

lista ENTENDA: O que os palestinos buscam na ONU

especialESPECIAL: As disputas territoriais no Oriente Médio

A comissão permanente sobre a admissão de novos membros ao órgão mundial é composta por todos os 15 membros do conselho, que atualmente inclui o Brasil.

Normalmente, o período de revisão para uma candidatura de adesão é de no máximo 35 dias, mas diplomatas ocidentais disseram que esse limite pode ser aumentado e pode levar muito mais tempo para os palestinos.

O chefe da delegação palestina nas Nações Unidas, Riyad Mansour, recebeu bem a decisão.

"Estamos gratos ao Conselho de Segurança por agir de forma decisiva e clara sobre nosso requerimento", disse. "O processo está seguindo adiante passo a passo, e esperamos que o Conselho de Segurança assuma sua responsabilidade e aprove nosso requerimento."

Ele reiterou que os palestinos esperavam que o processo não demorasse muito. O presidente palestino, Mahmoud Abbas, disse que quer a revisão concluída dentro de semanas.

O comitê permanente fará sua primeira reunião na sexta-feira.

Os Estados Unidos prometeram vetar o requerimento palestino, que precisa da aprovação do conselho a fim de passar para a Assembleia Geral da ONU para confirmação. Até agora, dizem os diplomatas ocidentais, os palestinos têm apenas seis votos garantidos para o seu lado.

Resoluções do Conselho de Segurança precisam de nove votos a favor e nenhum voto contra dos cinco membros permanentes a fim de serem aprovadas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.