Conselho iraquiano aprova enforcamento do primo de Saddam

A execução de "Ali Químico", primo deSaddam Hussein e um dos homens mais temidos do Iraque, foiconfirmada após a queda do último obstáculo legal em um longoprocesso, disseram autoridades iraquianas nesta sexta-feira. O conselho presidencial do Iraque, formado pelo presidenteJalal Talabani e seus dois vices, bloqueou por meses oenforcamento de Ali Hassan al-Majeed e dois outros condenados,em julho do ano passado, pelo genocídio de curdos iraquianos nadécada de 1980. Apesar de não ser contra a execução de Majeed, o conselhonão chegava a um consenso sobre a pena que deveria ser impostaaos outros dois acusados, o ex-ministro da Defesa Sultan Hasheme o ex-comandante do Exército Hussein Rashid Muhammed. A indefinição adiou a execução dos três, que deveriam tersido enforcados poucos dias após a sentença de morte ter sidoanunciada por um tribunal iraquiano em setembro do ano passado. Mas a solução parece ter sido encontrada para acelerar aexecução de Majeed, cuja morte é esperada com ansiedade pelosxiitas e curdos, que sofreram terrivelmente pelas mãos do primodo ex-ditador. "Foi aprovado dois dias atrás", disse uma fonte do conselhopresidencial à Reuters, referindo-se à decisão do conselhosobre a execução de Majeed. A fonte acrescentou que o governo do primeiro-ministroxiita Nuri al-Maliki seria responsável por marcar a data daexecução. "Será uma questão de dias", afirmou um assessor de Maliki,que pediu para não ser identificado, ao responder quando Majeedseria enforcado. A fonte do conselho disse que nenhuma decisão foi tomadasobre o destino de Hashem e Muhammed.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.