Conservadores reforçam domínio em segundo turno no Irã

Os conservadores consolidaram seu domíniono Parlamento do Irã após uma votação de segundo turno paraalgumas cadeiras sem definição, reportou a rádio estatal nosábado, mas reformistas dizem que o processo eleitoral osprejudicou. Os conservadores venceram a maioria das 208 cadeirasdecididas no primeiro turno em março para a Assembléia de 290membros. A votação do segundo turno foi realizada nasexta-feira para 82 cadeiras restantes, e como esperado, osnovos votos não alteraram o resultado anterior. Embora conservadores tenham novamente a maioria noParlamento, analistas dizem que a Assembléia poderá criar maisproblemas ao presidente Mahmoud Ahmadinejad devido à disputa derivais no campo conservador por posições, antes da eleiçãopresidencial de 2009. O programa de rádio reproduziu declarações do ministroMostafa Pourmohammadi de que os conservadores tiveram mais de69 por cento das 287 cadeiras, sugerindo que eles ficaram comquase 200 cadeiras. Os resultados de três cadeiras foram anulados por motivosnão-especificados, reportou a mídia iraniana. Os reformistas, críticos de Ahmadinejad, afirmaram que avotação foi injusta porque o Conselho Guardião, que não éeleito e que faz a triagem de candidatos, com base nocompromisso deles com o Islã e com o sistema clerical do Irã,barrou muitos de se candidatarem. Autoridades disse que o sistema é justo e imparcial. Pourmohammadi teria dito, segundo o rádio, que osreformistas, que buscam mudança política e social, venceramcerca de 16,4 por cento das cadeiras, e os independentes, cercade 14,3 por cento. Essas percentagens seriam iguais a cerca de47 e 40 cadeiras, respectivamente. Reformistas afirmam ter vencido mais de 30 cadeiras noprimeiro turno.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.