Contra 'blasfêmia', Paquistão bloqueia acesso ao YouTube

Bloqueio atinge 450 páginas da internet que contêm caricaturas do profeta Maomé

Efe

20 Maio 2010 | 06h01

As autoridades paquistanesas bloquearam o acesso ao YouTube no país para evitar a difusão de "material blasfemo", informou nesta quinta-feira o organismo regulador.

 

Em declarações recolhidas pela rede de televisão privada Express TV, o porta-voz da Autoridade de Telecomunicações do Paquistão (PTA), Khurram Ali Mehran, explicou que desde a noite de quarta-feira, 19, foram bloqueadas mais de 450 páginas da internet no país.

 

Segundo a fonte, a decisão foi tomada após várias queixas de usuários sobre a presença de conteúdos ofensivos ao Islã nas nessas páginas em questão.

 

O governo do Paquistão tinha ordenado na quarta-feira, após uma sentença judicial, o bloqueio temporário do acesso à rede social Facebook devido a um concurso de caricaturas do profeta Maomé que acontece no portal.

 

Em sua notificação oficial, o Ministério de Tecnologias de Informação do país destacou que foram bloqueadas "todas as páginas que mostrem caricaturas do Santo Profeta".

Mais conteúdo sobre:
blasfêmia Yutube Paquistão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.