Coréia do Sul pretende manter tropas no Iraque por mais um ano

Segundo presidente, manutenção de uma sólida aliança com os EUA é o motivo da decisão

Efe,

23 de outubro de 2007 | 06h30

O governo da Coréia do Sul apresentará uma moção no Parlamento para prolongar por mais um ano a presença das tropas sul-coreanas no norte do Iraque. O anúncio foi feito nesta terça-feira, 23, pelo presidente do país, Roh Moo-hyun, em discurso transmitido pela televisão. Roh afirmou que a manutenção de uma sólida aliança com os Estados Unidos foi o motivo principal da sua decisão. "A cooperação com os EUA é essencial para a segurança do nordeste da Ásia e a desnuclearização da península", disse Roh. O presidente sul-coreano, que tinha se comprometido a retirar as tropas do Iraque no fim do ano, pediu perdão publicamente por não cumprir a sua promessa. Atualmente, a Coréia do Sul mantém cerca de 1.200 militares na província iraquiana de Ibril, de maioria curda, numa missão de reconstrução. O governo precisa agora da aprovação da Assembléia Nacional (Parlamento). Mas o próprio partido governista Novo Partido Democrático Unido já tinha se mostrado contrário à extensão da missão. A decisão de Roh pode se transformar num dos pontos quentes das eleições presidenciais marcadas para 19 de dezembro.

Tudo o que sabemos sobre:
IraqueCoréia do Sul

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.