Corpo de Arafat deve ser exumado dia 26 para investigar envenenamento

O corpo do líder palestino Yasser Arafat deve ser exumado dia 26, oito anos após a sua morte, como parte de uma investigação para apurar se ele foi assassinado, disse um diplomata nesta segunda-feira.

Reuters

05 de novembro de 2012 | 18h20

Dois especialistas forenses suíços já estão na Cisjordânia para discutir os planos da exumação, que é complicada em termos técnicos, legais e políticos.

Em agosto, um tribunal francês abriu um inquérito sobre a morte de Arafat depois que um instituto suíço disse ter descoberto níveis elevados de polônio radioativo na roupa do líder palestino, que foi fornecida pela viúva, Suha.

A morte de Arafat tem sido rodeada de suspeitas. Médicos que trataram o líder palestino nos últimos dias disseram que não puderam determinar a causa da morte.

Suha disse acreditar que o marido foi envenenado e pediu a exumação para que amostras possam ser retiradas do corpo de Arafat para determinar se o polônio está presente.

Um diplomata europeu disse que magistrados europeus devem viajar à Cisjordânia neste mês, e dia 26 é a provável data em que o corpo de Arafat deve ser retirado de seu mausoléu.

Nenhuma autópsia foi feita quando Arafat morreu aos 75 anos, seguindo o desejo da viúva. Ele havia ficado efetivamente confinado por Israel em seu complexo por dois anos e meio antes de ir à França para cuidados médicos de emergência.

(Reportagem de Stephanie Nebehay, em Genebra; e de Crispian Balmer)

Tudo o que sabemos sobre:
ORMEDARAFATEXUMACAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.