Corte israelense indicia ex-ministro ligado a Olmert

Avraham Hirchson é acusado de desvio de verbas, fraude e lavagem de dinheiro; premiê é suspeito de corrupção

Agência Estado e Associated Press,

04 de junho de 2008 | 14h45

Uma corte israelense indiciou o ex-ministro de Finanças Avraham Hirchson por desvio de verbas, fraude e lavagem de dinheiro. Hirchson é acusado de roubar 2,5 milhões de shekels (R$ 1,23 bilhão) em 2003 de um sindicato de trabalhadores dirigido por ele. Bastante próximo do primeiro-ministro Ehud Olmert, Hirchson se demitiu em julho, para responder às acusações. A decisão judicial ocorre enquanto o próprio Olmert enfrenta acusações que ameaçam provocar sua queda. Veja também:Parlamento israelense pode antecipar eleição para novembroOlmert visita EUA em meio à crise interna israelense O indiciamento foi feito pela Corte Distrital de Tel-Aviv, nesta quarta-feira, 4. Suspeita-se que Hirchson usou dinheiro do sindicato para financiar sua campanha eleitoral e viagens no exterior. Olmert enfrenta acusações de corrupção em Israel, e vê a sustentação de seu governo seriamente ameaçada pela perda de apoio.

Mais conteúdo sobre:
OlmertIsrael

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.