Cronologia das negociações de paz entre Israel e palestinos

Os Estados Unidos estão sediando uma conferência de paz em Annapolis, Maryland, nesta terça-feira, voltada para iniciar conversações há muito estagnadas sobre um Estado palestino. Veja os principais momentos das últimas tentativas para se chegar a um acordo. Setembro de 1993, Acordos de Oslo:  O líder palestino Yasser Arafat e o primeiro-ministro israelense Yitzhak Rabin assinam um acordo sobre um autocontrole palestino limitado na Cisjordânia e na Faixa de Gaza ocupadas, mas adia conversas sobre questões chaves sobre quem controlará Jerusalém, o traçado de fronteiras e o possível retorno de refugiados palestinos. A Organização para a Libertação da Palestina (OLP) de Arafat reconhece o direito à existência de Israel e renuncia à violência. Tropas israelenses se retiram de algumas áreas palestinas. Julho de 2000, Camp David:  O presidente americano Bill Clinton tenta costurar um acordo entre Arafat e o primeiro-ministro israelense Ehud Barak. As conversações focam em propostas para criar um Estado em pouco mais de 90% da Cisjordânia incluindo Jerusalém Oriental, a Faixa de Gaza, e algumas permutas de terras para assentamentos judeus na Cisjordânia. Arafat rejeita a proposta, buscando a soberania palestina sobre Jerusalém Oriental incluindo lugares sagrados muçulmanos, e o direito à volta de refugiados que fugiram em 1948 do que é agora Israel. As negociações fracassam e estoura a Segunda Intifada palestina. Dezembro de 2000, Parâmetros de Clinton: Procurando reativar o processo de paz, Clinton pede a ambos os lados que aceitem uma série de princípios como base para futuras negociações. Entre eles, estão: o Estado palestino será em Gaza e em 94-96% do território da Cisjordânia; Soberania palestina sobre o Monte do Templo em Jerusalém, reverenciado pelos muçulmanos como al-Hatam al-Sharif, com soberania israelense sobre o Muro das Lamentações judeu; O novo Estado da Palestina deveria ser o lar para os refugiados, mas Israel poderia aceitar uma parte deles. Uma compensação é proposta. Janeiro de 2001, Conversações de Taba: Barak inicia negociações de última hora em resort egípcio antes das eleições israelenses e com base nas propostas de Clinton. Os negociadores não conseguem costurar um acordo, mas dizem que "nunca estiveram tão próximos" dele. Os dois lados prometem realizar novas negociações, mas Barak perde o cargo de primeiro-ministro no Parlamento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.