Cronologia dos atentados terroristas no Líbano

General é a nona vítima de assassinatos contra autoridades desde a morte de ex-premiê Rafik Hariri em 2005

12 de dezembro de 2007 | 11h42

O general François al-Hajj, chefe de operações militares do Exército libanês, foi assassinado nesta quarta-feira, 12, no último atentado dirigido contra personalidades do Líbano desde a morte do ex-primeiro-ministro Rafik Hariri, em 2005. Hajj é a nona vítima fatal de uma série de assassinatos contra autoridades no país. Veja a relação dos principais atentados cometidos no Líbano:   14 de fevereiro de 2005.- Explosão de um carro-bomba no centro de Beirute mata Hariri e outras 20 pessoas, entre elas o deputado Bassel Freijan.   2 de junho de 2005.- O jornalista libanês Samir Kasir morre num atentado cometido com um explosivo encostado em seu veículo, no bairro cristão de Aschrafieh, no leste de Beirute.   21 de junho de 2005.- George Hawi, ex-secretário do Partido Comunista libanês e crítico do regime sírio, morre na explosão do seu carro, em Beirute.   12 de julho de 2005.- Uma explosão num bairro do norte de Beirute deixa dois mortos e 12 feridos, entre eles o ministro da Defesa, Elias Murr, e a mulher do embaixador mexicano.   25 de setembro de 2005.- A jornalista libanesa May Chidiac é gravemente ferida após a explosão de uma bomba em seu carro, numa localidade ao norte de Beirute.   12 de dezembro de 2005.- O deputado e jornalista libanês Gebran Tueni morre com mais três pessoas num atentado com carro-bomba num bairro cristão da periferia de Beirute.   26 de maio de 2006.- Um dirigente da Jihad Islâmica palestina morre em conseqüência dos ferimentos sofridos num atentado, no qual também morreu seu irmão. Um porta-voz do grupo responsabiliza o Mossad (serviço secreto israelense).   5 de setembro de 2006.- O coronel libanês Samir Chehade é gravemente ferido em um atentado que mata seus guarda-costas, numa estrada entre as cidades de Sidon e Beirute, no sul do Líbano.   21 de novembro de 2006.- Morre num atentado em Beirute o ministro da Indústria, Pierre Gemayel, filho e sobrinho de presidentes libaneses, com dois guarda-costas.   13 de junho de 2007.- Uma bomba explode no centro de Beirute e mata Walid Eido, deputado da maioria anti-Síria da Corrente Futuro, e a outras quatro pessoas, entre elas o filho do político.   19 de setembro de 2007.- Seis pessoas, entre elas o deputado Antoine Ghanem, morrem na explosão de uma bomba que atinge o carro do parlamentar, no sudeste de Beirute.   12 de dezembro de 2007.- O general François al-Hajj, diretor de operações militares do Exército libanês, morre na explosão do carro no qual viajava, perto de Beirute. O general era considerado o principal candidato a suceder o comandante-em-chefe do Exército, Michel Sleiman, caso ele fosse eleito presidente do país.

Tudo o que sabemos sobre:
Líbanoatentado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.