Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

CRONOLOGIA-Iraque, da invasão à ameaça de uma guerra civil

Leia baixo os principais fatosocorridos no Iraque desde a invasão liderada pelos EUA em2003. 20 de março de 2003 -- Forças norte-americanas e britânicasinvadem o Iraque vindas do Kuweit. 9 de abril -- Soldados dos EUA tomam Bagdá; Saddamdesaparece. 13 de julho -- O Conselho Iraquiano de Governo -- compostopor 25 iraquianos escolhidos sob a supervisão norte-americana-- realiza seu primeiro encontro em Bagdá. 19 de agosto -- Um atentado suicida com caminhão-bombadestrói a sede da Organização das Nações Unidas (ONU) em Bagdá,matando 22 pessoas, entre as quais o enviado da entidade aoIraque, o brasileiro Sérgio Vieira de Mello. 29 de agosto -- Um carro-bomba mata ao menos 83 pessoas,entre as quais o líder xiita aiatolá Mohammed Baqer al-Hakim,na mesquita do Imã Ali, em Najaf. 13 de dezembro -- Soldados norte-americanos capturam Saddamperto de Tikrit. Paul Bremer, o norte-americano encarregado degovernar o Iraque, comunica o fato com a frase: "Nós opegamos!" 2 de março de 2004 -- Ataques simultâneos em Bagdá e emKerbala matam 171 pessoas. 8 de março -- O Conselho Iraquiano de Governo referenda umaConstituição provisória. 1o de junho -- O Conselho Iraquiano de Governo é dissolvidopara dar lugar ao governo interino liderado por Iyad Allawi.Ghazi al-Yawar fica com o cargo de presidente. 28 de junho -- Os EUA devolvem aos iraquianos, formalmente,a soberania do país. A Autoridade Provisória da Coalizão deixade existir. Bremer sai do Iraque. 30 de janeiro de 2005 -- A Aliança Unida, liderada porxiitas, domina a eleição para o Parlamento interino. A maiorparte dos sunitas não comparece às urnas. 16 de março -- A Assembléia Nacional realiza sua primeirasessão. 15 de outubro -- Um referendo confirma a Constituição, querecebe 78 por cento de votos favoráveis apesar da oposição dossunitas, que se abstêm quase por completo do processo. 19 de outubro -- Saddam Hussein começa a ser julgado porcrimes contra a humanidade devido ao assassinato de 148 homense meninos xiitas em Dujail, depois de uma tentativa deassassinato contra ele, em 1982. O ex-ditador alega inocência. 15 de dezembro -- Eleições parlamentares. Os sunitas votamem peso. 10 de fevereiro de 2006 -- Os resultados finais do pleitopor pouco não fazem da Aliança Unida (xiita) o blocomajoritário do Parlamento, com uma bancada de 128 membros. Ossunitas ficam com 58 cadeiras e os curdos, com 53. 22 de fevereiro -- A destruição do santuário xiita deSamarra provoca uma onda disseminada de violência sectária,alimentando temores de que o país seja tomado por uma guerracivil. 21 de maio -- O novo primeiro-ministro iraquiano, Nurial-Maliki, preside o primeiro encontro de seu gabinete degoverno. 7 de junho -- Um avião dos EUA mata o líder da Al Qaeda noIraque, Abu Musab al-Zarqawi. 5 de novembro -- Uma corte de Bagdá considera Saddamculpado de crimes contra a humanidade no episódio de Dujail econdena-o a ser executado por enforcamento. 23 de novembro -- Seis carros-bomba detonados em partesdiferentes do bairro Sadr City, em Bagdá, matam 202 pessoas. 30 de dezembro -- Saddam é executado. 14 de fevereiro de 2007 -- Com apoio de forças dos EUA,Maliki lança uma operação de segurança em Bagdá com o intuitode impedir o país de mergulhar em uma guerra civil. 27 de março -- Um caminhão-bomba explode em Tal Afar, pertoda cidade de Mosul (norte), matando 152 pessoas. 18 de abril -- Vários atentados com carros-bomba matam 191pessoas na região de Bagdá. No mercado de Sadriya, uma bombamata 140 pessoas. 28 de maio -- Embaixadores do Irã e dos EUA reúnem-se emBagdá para discutir formas de diminuir a violência no país. Asconversas significam o final de um período de 30 décadas decongelamento diplomático nas relações entre os doisarqui-rivais. 15 de junho -- As Forças Armadas dos EUA afirmam terconcluído o envio de um contingente extra de soldados aoIraque, elevando o total de militares norte-americanosestacionados no país para 160 mil. 1o de agosto -- O principal bloco sunita retira-se dogabinete de governo de Maliki, atirando o governo em uma crise. 14 de agosto -- Caminhões-bomba atingem, no norte do país,a comunidade Yazidi, minoritária, matando 411 pessoas, diz ogoverno. A ação representa o ataque mais violento realizado pormilitantes desde a invasão liderada pelos EUA. 29 de agosto -- O clérigo xiita Moqtada al-Sadr suspende asatividades de sua milícia, o Exército Mehdi, por seis mesesdepois de ocorrerem choques com policiais ligados a uma facçãoxiita rival. 3 de setembro -- O presidente dos EUA, George W. Bush, fazuma visita surpresa ao Iraque e aventa a possibilidade decomeçar a retirar os soldados norte-americanos do país em vistada queda nos níveis de violência. 10 de setembro -- Em um testemunho diante do Congressonorte-americano, o comandante das forças dos EUA no Iraque,general David Petraeus, recomenda diminuir o número de soldadosnorte-americanos no país em mais de 20 mil até a metade de2008. 13 de setembro -- O xeique Abdul Sattar Abu Risha, um lídertribal sunita que teve participação fundamental nos esforçospara expulsar a Al Qaeda da Província de Anbar, é morto em umatentado a bomba. 12 de janeiro de 2008 -- O Parlamento iraquiano aprova umalei permitindo que milhares de ex-membros do Partido Baath, deSaddam, regressem a seus cargos no funcionalismo público. Amanobra ganha elogios do governo norte-americano, que vê nelaum passo importante para selar a paz entre as facções rivais. 21 de fevereiro -- Milhares de soldados turcos invadem onorte do Iraque, enquanto milhares mais aguardam na fronteiraprontos para unirem-se àqueles, em meio a uma caçada porguerrilheiros do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK).Oito dias mais tarde, as forças turcas retiram-se. O Exércitoda Turquia afirma ter matado 242 rebeldes dos 300 que pretendiaencontrar e que as linhas de comunicação do PKK foraminterrompidas. 6 de março -- Duas bombas explodem em Karrada, um bairromajoritariamente xiita de Bagdá, matando ao menos 68 pessoas.Outras 120 ficaram feridas nas explosões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.