CRONOLOGIA-Um histórico das tropas dos EUA no Iraque

Os Estados Unidos se encaminham para reduzir nesta terça-feira seu contingente no Iraque para menos de 50 mil soldados, mas há dúvidas sobre a promessa do presidente Barack Obama de retirar todas as tropas norte-americanas do país até o final de 2011.

REUTERS

31 de agosto de 2010 | 10h02

Os soldados restantes darão treinamento e apoio aos militares e policiais iraquianos.

A seguir, o histórico sobre a presença militar norte-americana no Iraque desde 2003.

2003

20 de março - Forças estrangeiras sob comando dos EUA invadem o Iraque, a partir do Kuwait ,para depor o ditador Saddam Hussein.

Março/abril - Cerca de 125 mil soldados dos EUA e Grã-Bretanha estão no Iraque. Os EUA anunciam que até o final de abril acrescentarão mais 100 mil soldados ao contingente.

9 de abril - As tropas dos EUA ocupam Bagdá, e Saddam desaparece.

1o. de maio - O presidente George W. Bush declara o fim das hostilidades.

Março/maio - Entre 20 de março e 1o. de maio, 138 soldados dos EUA são mortos.

13 de dezembro - Soldados dos EUA capturam Saddam dentro de um buraco em Tikrit, norte do Iraque.

2006

22 de fevereiro - Explosão em uma mesquita xiita de Samarra dá início a uma violência sectária generalizada, gerando temores de uma guerra civil.

2007

14 de fevereiro - Com apoio dos EUA, o primeiro-ministro Nuri al Maliki lança uma grande operação de segurança em Bagdá, para tentar afastar o espectro da guerra civil.

Fevereiro/junho - Cinco brigadas de combate dos EUA mais tropas de apoio, cerca de 30 mil soldados no total, são enviados para o Iraque entre fevereiro e meados de junho. Além de reduzir a violência, a meta dos EUA era criar um "espaço de respiro" para que os líderes iraquianos fizessem progressos na aprovação de leis consideradas cruciais para promover a reconciliação nacional.

15 de junho - Os militares dos EUA anunciam o fim da fase de reforços das tropas, que elevou o contingente a 160 mil soldados.

Abril/junho - É o trimestre mais letal da guerra para os militares dos EUA no Iraque, com 331 soldados mortos.

10 de setembro - O comandante dos EUA no Iraque, general David Petraeus, recomenda reduzir o contingente em mais de 20 mil soldados até meados de 2008.

2008

22 de julho - Os militares dos EUA dizem que as últimas cinco brigadas de combate adicionais enviadas em 2007 já deixaram o Iraque, e que restam 147 mil soldados norte-americanos no país.

17 de novembro - Iraque e Estados Unidos assinam um acordo prevendo a desocupação militar até o final de 2011. O pacto pela primeira vez dá ao governo local autoridade sobre a missão dos EUA, substituindo um mandato do Conselho de Segurança da ONU. Dez dias depois, o Parlamento do Iraque aprova o acordo.

2009

1o. de janeiro - O pacto de segurança EUA-Iraque entra em vigor, colocando 140 mil soldados dos EUA sob a autoridade iraquiana.

27 de fevereiro - O novo presidente dos EUA, Barack Obama, anuncia planos para encerrar as missões de combate no Iraque até 31 de agosto de 2010, mas diz que deixará até 50 mil soldados para treinar forças iraquianas.

30 de junho - Todas as unidades de combate dos EUA se retiram dos centros urbanos para quartéis afastados.

2010

4 de junho - Os militares dos EUA dizem haver 88 mil soldados no Iraque.

18 de agosto - Um alto funcionário do governo diz que restam 56 mil soldados dos EUA no Iraque; desde o começo da invasão, os EUA tiveram 4.419 mortes de militares no país, segundo o Pentágono.

31 de agosto - O contingente dos EUA no Iraque cai a 49,7 mil, após a conclusão de uma grande retirada.

Tudo o que sabemos sobre:
IRAQUECRONOGRAMAINVASAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.