Cruz Vermelha deixa Homs e suspende plano de retirar civis

Agentes humanitários que pretendiam retirar civis e feridos de Homs, na Síria, foram impedidos nesta quinta-feira de entrar nas áreas mais conflagradas por causa de disparos e de uma situação de segurança "duvidosa", afirmou o Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV).

REUTERS

21 de junho de 2012 | 19h50

Forças governamentais e rebeldes acataram na quarta-feira uma solicitação do CICV para que estabelecessem uma trégua humanitária, após mais de dez dias de intensos combates.

Mas quando uma equipe do CICV e do Crescente Vermelho sírio se aproximava do centro antigo de Homs, na manhã desta quinta-feira, o grupo ouviu tiros e preferiu recuar, segundo um porta-voz, que disse que a origem dos disparos não foi identificada.

Moradores disseram que o Exército sírio bombardeou bairros centrais durante o dia. Diante das preocupações com a segurança, a equipe humanitária voltou a Damasco, a capital.

O CICV, única agência humanitária com pessoal na Síria, disse que continua em contato com as forças do governo e com os rebeldes.

(Reportagem de Stephanie Nebehay)

Tudo o que sabemos sobre:
SIRIAHOMSCIVIS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.