Cruz Vermelha volta a Benghazi para ajudar civis na Líbia

O Comitê Internacional da Cruz Vermelha (ICRC) disse na sexta-feira que alguns de seus funcionários retornaram à cidade líbia de Benghazi, controlada por rebeldes, dois dias depois de saírem do local por razões de segurança.

REUTERS

18 de março de 2011 | 19h03

"Estamos ávidos por seguir apoiando hospitais, visitando detentos em Benghazi e em outras partes e trabalhando para ajudar civis", disse Simon Brooks, chefe da missão da Cruz Vermelha na Líbia.

O ICRC também está enviando mais comida e itens domésticos essenciais ao país para ajudar dezenas de milhares de pessoas, segundo um comunicado.

A Líbia vive uma crise política desde o mês passado, quando começaram os protestos pela saída do líder Muammar Gaddafi, há 41 anos no poder. Os manifestantes têm sido reprimidos de maneira violenta, e o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) aprovou resolução na quinta-feira que autoriza "todas as medidas necessárias" para proteger os civis.

(Reportagem de Stephanie Nebehay)

Tudo o que sabemos sobre:
LIBIACRUZVERMELHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.